Nem agora, nem nunca.

Não à vacinação obrigatória contra a Covid-19!

Nem por meios legais nem indiretamente.

Caro leitor,

Imagine que com a chegada da vacina contra a Covid-19, aquela na qual se depositou tanta esperança para acabar com a pandemia e recuperar o mundo que tínhamos, surjam também efeitos colaterais graves.

Pessoas morrem e outras ficam doentes.

Imagine também que a eficácia da vacina , que é anunciada em mais de 90% nos ensaios clínicos de fase III, quando começa a ser aplicada massivamente no mundo real, acabe não sendo tão eficaz.

Agora imagine que os 47% dos espanhóis que já declararam nas pesquisas que não planejam se vacinar , comece a aumentar e os que desejam fazê-lo sejam uma minoria. (1)

Imagine então que o Governo, que havia garantido que a vacinação seria voluntária, pense que a adesão à vacinação é insuficiente e, em nome da saúde pública, decida que é preciso obrigar a população a se vacinar , pulverizando o sacrossanto direito à vacinação. a livre escolha médica e o caráter voluntário das vacinas.

E há muitas maneiras de fazer isso.

Isso poderia ser feito alterando diretamente as leis para torná-las obrigatórias, o que pode ser feito pelos políticos de Brasília.

Mas também de forma mais sutil , como impedir o acesso ao transporte público ou a eventos esportivos ou culturais, entrar em hospitais ou residências, pegar um avião ou matricular-se em escolas ou universidades sem mostrar o certificado de vacinação.

Não podemos permitir isso!

Um plano de vacinação cheio de desconhecidos

A vacina contra a Covid-19 já está chegando. Com grande alarde, o Governo apresentou o seu plano de vacinação, que espera iniciar em Janeiro. (2)

Mas nele há mais incertezas do que certezas .

Ainda há muitas incógnitas para os primeiros grupos a serem colocados na lista para recebê-la (idosos e pessoas com deficiência em casas de repouso e seus cuidadores, pessoal de saúde …) podem sentir-se calmos.

Não é obrigatório … mas será em breve?

O Governo destacou no seu documento de apresentação que a vacina não será obrigatória, mas sim com uma boca pequena.

Porque nas declarações aos meios de comunicação não fica tão claro que, mesmo que não seja hoje, se descarta que será amanhã.

      • O ministro da Saúde, Pazuello, espera que a conscientização dos cidadãos em relação à vacina “seja suficiente” e que, embora “legalmente” o Governo possa estabelecer a obrigação, se tente fortalecer a conscientização. (3)
      • O porta-voz do Ministério da Saúde contra a pandemia, também espera que “não seja necessário” tornar a vacina obrigatória no Brasil. (4)

Apenas “esperar”? E o que eles farão se as pessoas não se aglomerarem para serem vacinadas?

Sem dúvida, o novo coronavírus tornou-se o inimigo público nº 1, mas isso não pode servir de justificativa para restringir o direito de livre escolha médica dos cidadãos de nosso país.

No Brasil, nenhuma vacina é obrigatória, nem mesmo vacinas que estão no mercado há décadas (como MMR ou varicela) e menos ainda deveria ser a Covid-19, criada na corrida.

Nem agora, nem em alguns meses, nem nunca.

Simplesmente NÃO PODE ser obrigatório.

Por isso, vamos apresentar uma Petição ao Governo do Brasil exigindo seu compromisso a esse respeito, para salvaguardar a liberdade suprema de cada pessoa para decidir se e quando deseja ser vacinada ou não.

E mais com essas vacinas criadas em tempo recorde, das quais ainda não há informações científicas suficientes e sobre as quais tanto se desconhece.

Não podemos permitir que nos obriguem, nossos pais ou avós ou nossos filhos, a nos vacinarmos com uma nova vacina por obrigação.

A decisão de fazer ou não fazer e de quando fazer é e deve ficar a cargo de cada um.

Os fabricantes de vacinas, os políticos e os meios de comunicação de massa decidiram que é preciso ser vacinado. Eles apelam para a “responsabilidade coletiva”, mas essa obrigação moral que colocam sobre nossos ombros pode se tornar uma obrigação legal da noite para o dia.

E é por isso que lhe escrevemos hoje, para lhe pedir que se junte à nossa petição para pedir ao Governo que garanta o carácter voluntário da vacina. Estamos em uma situação histórica e é hora de perguntar. Antes que seja tarde demais.

Assine e distribua esta petição entre seus conhecidos.

Não somos contra vacinas, nem contra a vacinação contra o coronavírus. Queremos apenas que os cidadãos tenham uma garantia expressa de que não seremos obrigados a imunizar-nos. Nem agora, nem nunca. Para muitas doses de vacinas que já foram adquiridas.

Uma vacina feita muito rápido

Especialistas em doenças infecciosas acreditam que leva pelo menos cinco anos para se fazer uma vacina … E a vacina do coronavírus foi feita em 18 meses!

E cinco anos estão passando rápido … Demorou 30 anos para desenvolver uma vacina contra a gripe, 30 para a varicela e 16 para o rotavírus.

A investigação avançou e permite acelerar os prazos … mas e tanto? Os fabricantes de vacinas iniciaram uma corrida louca para produzi-la o mais rápido possível.

Pfizer, Moderna, Oxford / AstraZeneca… todos sabem que as pesquisas para encontrar a primeira vacina vão contra o relógio . E não apenas porque a situação da saúde é premente.

A economia tem muito a dizer. E eles ainda não publicaram estudos científicos completos sobre o que estão pesquisando.

O diretor de The Lancet, uma das revistas científicas de maior prestígio, destacou nas redes sociais que “ a publicação de resultados provisórios por meio de um comunicado à imprensa não é uma boa prática científica nem ajuda a construir a confiança do público nas vacinas. Um anúncio publicitário tal deve ser acompanhado pela publicação completa de um artigo revisado por pares em uma revista científica . “

É legítimo duvidar de colocá-lo ou não, e isso só pode ser feito voluntariamente.

Precisamos da sua assinatura para extrair do Governo a promessa de que ela nunca será obrigatória.

Por favor, assine e compartilhe esta petição.

A tecnologia perturbadora com instruções genéticas

As vacinas da Moderna e da Pfizer são baseadas em uma tecnologia que envolve a introdução de moléculas no corpo com instruções genéticas para fazer uma proteína viral que ativa o sistema imunológico para reconhecer e eliminar o vírus se ele o encontrar no futuro .

É a primeira vez que tal vacina é feita.

Poderíamos permitir que a população – incluindo as crianças – seja forçada a receber uma vacina que pode modificar o genoma das pessoas vacinadas?

Segurança da vacina

Políticos e fabricantes de vacinas enchem a boca de “segurança e eficácia” quando falam sobre vacinas.

A eficácia ainda não foi verificada, pois os exames laboratoriais, ou mesmo estudos em poucos pacientes realizados na fase III como os realizados até agora, nada têm a ver com o que realmente vai acontecer.

Mas e quanto à segurança? Não existe uma vacina 100% segura. Mesmo nos pequenos estudos com voluntários que estão sendo realizados, os efeitos colaterais que vieram à tona são preocupantes.

De febres altas, dores no corpo, fortes dores de cabeça e exaustão, que são alguns dos efeitos colaterais relatados por muitos dos pacientes, às ” doenças inexplicáveis ” sofridas por alguns de seus participantes.

Mas existem riscos que não são conhecidos de antemão, que só se manifestarão meses ou anos depois.

E o que acontecerá ao aplicar a vacina em pessoas em risco, especialmente vulneráveis ​​ao coronavírus, que estão no topo da lista ?

O coronavírus pegou o mundo de surpresa e há pessoas morrendo de Covid-19. Mas, sem dúvida, a vacinação não deve ser apenas voluntária, mas devemos ter a garantia de que continuará sendo.

Assine aqui para que a vacinação seja sempre uma decisão individual voluntária

Ausência total de responsabilidade dos fabricantes

Todas as dúvidas que alguém possa ter são ainda mais preocupantes, uma vez que os formuladores de políticas já apoiaram a total falta de responsabilidade legal dos fabricantes de vacinas contra o coronavírus.

A União Europeia criou um fundo para reembolsar as empresas farmacêuticas em caso de ações judiciais contra os fabricantes. (5)

Imagine por um momento que dizemos às montadoras: “Construa seus carros do jeito que você quiser e se houver problemas de freio e acidentes de trânsito, iremos reembolsá-lo por quaisquer ações judiciais que possam ser movidas contra você.”

O que está acontecendo não tem precedentes. É incrível!

Cada pessoa tem o direito de pesar riscos e benefícios e de tomar a decisão que considerar adequada.

Assine a petição para que aconteça o que acontecer esta vacina não se torne obrigatória.

SIM à vacina, NÃO à sua obrigação

As dúvidas sobre a vacinação são mais do que legítimas. Eu diria ainda mais: são quase uma obrigação de um cidadão responsável, que cuida e cuida da própria saúde.

As vacinas têm sido um grande avanço no campo da saúde pública para proteger a população contra doenças graves. É ótimo ter essas opções.

Mas uma opção nunca pode se tornar uma obrigação.

A avaliação do benefício / risco, e principalmente diante de uma nova vacina, só deve ser feita por quem assume esse risco, nunca por um governo.

Quem decide não se vacinar, ou pelo menos não se vacinar no início, não é “antivacinação”, nem egoísta, nem anti-sistema, nem é desinformado ou não acredita na ciência. Porque todas essas coisas serão ouvidas.

Basta tomar uma decisão, como quem decide se vacinar o quanto antes.

Ambas as decisões devem ser respeitadas e só podem ser tomadas a partir do caráter voluntário da vacina.

Vamos todos assinar para evitar que o Governo seja tentado a transformar toda a população de um país em cobaias.

Muitos são os elementos que sugerem que mais cedo ou mais tarde essa vacina pode se tornar obrigatória.

A mídia não parou de criar medo.

Grandes empresas farmacêuticas desenvolveram vacinas on the run, sem respeitar os procedimentos usuais de validação de terapias.

Os países criaram estados de emergência sanitária que restringiram direitos que considerávamos garantidos.

A única coisa que falta é a vacinação obrigatória.

Ajude-nos a garantir que essa possibilidade não se torne realidade nos próximos meses.

Exigamos do Governo o compromisso de que a vacina contra o coronavírus seja voluntária, desde que cada pessoa tome a decisão de acordo com seus critérios.

Precisamos de muitas assinaturas para que nossa voz seja ouvida. Para que, diante do discurso onipresente do medo, eles nos garantam algo tão fundamental quanto decidir sobre a própria saúde.

Assine a nossa petição para que o que pedimos, tão razoável, seja ouvido.

Precisamos da sua assinatura!

Referências:

(1) Barômetro de novembro do Centro de Pesquisas Sociológicas (CIS).

(2) Estratégia de Vacinação COVID-19 na Espanha “, apresentada em 24 de novembro de 2020.

(3) Entrevista no RAC 1. 21.11.20.

(4) Entrevista no programa Las things clear, no último dia 16.11.2020.

(5) fr.euronews.com/2020/09/03/vaccins-contre-le-covid-19-l-ue-pourra-indemniser-les-fabricants

Nem agora, nem nunca.

Não à vacinação obrigatória contra a Covid-19!

Nem por meios legais nem indiretamente.

À atenção do Presidente do Governo do Brasil, e Ministro da Saúde

Senhor Presidente, Senhor Ministro da Saúde, Srs. Presidentes das Comunidades Autónomas

Estamos vivendo um momento histórico, em meio a uma pandemia global causada por um novo vírus que causa uma nova doença, o Covid-19.

Após meses frenéticos em busca de uma vacina, várias delas desenvolvidas por diferentes empresas farmacêuticas em tempo recorde estão prestes a chegar. A Estratégia de Vacinação da Covid-19 elaborada pelo Governo inclui o caráter não obrigatório da vacina para a população, medida que aplaudimos, mas que é necessária para garantir que não será revertida a qualquer momento. São vacinas novas, cuja eficácia e segurança ainda não são totalmente conhecidas.

Por tudo isso, SOLICITAMOS:

  • Um compromisso expresso e confiável das autoridades de manter o caráter voluntário da vacina contra a Covid-19em todos os grupos populacionais e, assim, respeitar o direito à livre escolha médica e o caráter voluntário das vacinas em vigor em nosso país.
  • O consentimento informadode cada pessoa (ou de seus pais ou responsáveis ​​no caso de menores) é solicitado antes da vacinação, para que possam tomar a decisão de se vacinar ou não, levando em consideração as deficiências e limitações da vacina, bem como seus efeitos. adversas, e não apenas intenções gerais, como “prevenir covid-19” e “contribuir para o fim da pandemia”.
  • Há absoluta transparência para saber o número exato e atualizado de notificaçõesde reações adversas que estão ocorrendo, com sua classificação e taxa de incidência.
  • status de vítima da vacina contra Covid-19 é reconhecido, o que permitirá que cuidados de saúde adequados sejam fornecidos às pessoas afetadas.
  • Um fundo de compensação é criado para vítimasde reações adversas à vacina.

Tudo isso evitará riscos e sofrimentos e garantirá a liberdade suprema de cada pessoa para decidir se e quando quer ser vacinada ou não.

Receba, Senhor Presidente do Governo, Senhor Ministro da Saúde, receba o testemunho da nossa consideração.

ASSINE ESSA PETIÇÃO

Número de Assinaturas

precisa de ajuda?

Nosso funciona em dias úteis para melhor atender todos os nossos clientes, qualquer dúvida entre em contato através do:

Central de Atendimento

E-mail : atendimento@learne.com.br Whatsaap: (19) 9 8908-9618

Formas de pagamento

pagamento seguro

©2020 Learne Saúde. Todos os Direitos Reservados.